Publicado por André Luiz Melo
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

Também denominado de jumbo pequeno, jambuaçu, camela, agrião do Brasil, jambú, agrião do mato, entre várias outras nomenclaturas, o agrião bravo integra a família das asteraceae e possui denominação científica acmella uliginosa.

Originário da américa tropical, sendo facilmente encontrado na região Nordeste, sobretudo em serras frescas, o agrião bravo é um vegetal rasteiro que cresce podendo chegar a apenas 30 centímetros de altura.

Todas as partes da planta são recomendadas para promover efeitos benéficos para o organismo. Todavia, a flor do agrião bravo é a área que mais se concentram propriedades medicinais para a saúde humana.

Agrião bravo: fonte de benefícios para a saúde humana

Foto: Reprodução/ internet

benefícios do agrião bravo para o organismo

Dotado de propriedades medicinais capazes de promover ação aromática, anestésica, descongestionante do baço, digestiva, estomáquinca hepática, nevrálgica, tônica, vesicante e silagoga, esta planta é comumente usada como medicamento caseiro para promover o tratamento de afecções, a exemplo de feridas bucais e formigamentos dentais.

Recomenda-se assim que se consuma ao menos uma parte da flor ou mesmo que a deixe em contato com ferimentos como cáries, aftas, entre outras. Esse processo deve levar até no máximo dois minutos.

Em casos de anestesias locais, alguns dentistas utilizam a fórmula produzida à base das flores do agrião bravo. Tais situações ocorrem mais frequentemente em procedimentos mais complexos.

Tempero de peixes e crustáceos. Eis outras das principais finalidades dessa planta. A mesma é potente para a condimentação de pratos deliciosos vindos especialmente do fundo do mar.

Propriedades medicinais do agrião bravo

Anestésico local
Aromática;
Descongestionante do baço;
Digestivo;
Estomáquica;
Excitante;
Hhepático;
Nevrálgica;
Tônico;
Sialagoga;
Vesicante.

Contraindicações e cuidados

Gestantes e indivíduos que realizam a ingestão de remédios de uso contínuo devem, primeiramente, passar por consulta médica. Somente depois, se liberado pelo médico, consumir a planta em dosagens equilibradas e controladas.

O contato deste vegetal com a garganta também deve ser banido. Em casos de outros efeitos colaterais observados, procurar ajuda médica com urgência.

Veja mais!