Publicado por Débora Silva
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

O alho de urso (Allium ursinum), também conhecido como alho selvagem, é uma planta medicinal pertencente à família Liliaceae. A origem do nome “alho de urso” deu-se a partir da observação de que, quando o urso selvagem acorda do período de hibernação, ele come uma grande quantidade desta planta.

Alho de urso - Benefícios e propriedades

Foto: Reprodução

A planta cresce na Europa, principalmente em áreas montanhosas, e é colhida no período da primavera. O alho de urso tem sido muito utilizado como um remédio para algumas doenças, dentre elas a arteriosclerose e a hipertensão. Este remédio natural pode ser encontrado em forma de cápsulas ou de gotas. Confira a seguir as propriedades e os benefícios desta planta:

Propriedades

O alho de urso, planta composta por óleos voláteis sulfurados (aliína) e flavonoides, possui propriedades hipolipemiante (diminui a taxa do mau colesterol, o LDL, e aumenta o bom colesterol, o HDL), hipotensor (dilatação dos vasos), inibidor da agregação plaquetária e antisséptico.

A planta tem uma quantidade maior de enxofre e de adenosina do que qualquer outro vegetal. A adenosina é um elemento essencial na regulação da hipertensão e da taquicardia.

Benefícios do alho de urso

A planta pode ser utilizada no tratamento de casos de hipertensão, colesterol e problemas gastrointestinais. É também usada para aliviar gases intestinais, devido aos seus compostos de óleos voláteis e de enxofre. O bulbo do alho de urso possui uma grande concentração de bioativos, e age como diurético, adstringente e expectorante.

Atenção para não confundir com outras plantas!

O alho de urso pode ser confundido com outras plantas, como o açafrão-do-prado e lírio-do-vale. Como diferenciar o alho de urso das outras duas plantas? Em primeiro lugar, atente-se para o cheiro: o alho de urso tem odor de alho, as outras duas plantas, não.

Além disso, observe as folhas das plantas: no alho de urso, a face superior é brilhante, a inferior é opaca e a consistência das folhas é delicada; no lírio-do-vale, a face superior é opaca, a inferior é brilhante e a consistência das folhas é flexível; no açafrão-do-prado, as folhas têm uma consistência firme e resistente. Em caso de dúvidas, é indicado consultar um especialista em plantas medicinais.

Veja mais!