Publicado por Agnes Rafaela
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

Uma forte dor caracterizada como transitória ou como um desconforto na parte do tórax, na região anterior, é nomeada como angina do peito (ou, cientificamente, Angina Pectoris). Tal dor causa sensações desagradáveis como pressão, queimação ou aperto.

Mas, apesar de conhecerem por alto a enfermidade, muitos não compreendem suas causas reais: A angina ocorre devido ao estreitamento das artérias que levam sangue ao coração. Assim, o músculo do coração – o miocárdio – passa a não receber oxigênio e sangue suficientes para seu bombeamento. Logo, a falta de oxigênio é a principal responsável pela forte dor sentida pelo indivíduo. A dor, além de surgir no peito, pode também se estender pelo pescoço, mandíbula, ombros e até mesmo o braço esquerdo, podendo ou não vir acompanhado de demais sintomas como sudorese e náusea pelo período de cerca de cinco minutos.

Angina do peito - Tratamentos naturais

Foto: Reprodução

Principais causas da angina

  • Doença arterial coronariana: Presença de placas gordurosas na parede das artérias cardíacas.
  • Cardiopatia hipertensiva: Problema cardíaco causado pela hipertensão arterial.
  • Estreitamento de válvula aórtica: Doença causadora de problemas das válvulas cardíacas.
  • Miocardiopatias: Nesta doença cardíaca, ocorre um dilatamento e formação mais espessa no músculo do coração, fazendo com que o corpo necessite de uma quantidade maior de oxigênio para poder trabalhar.
  • Espasmo arterial coronariano: Contração súbita que ocorre na artéria do coração.
  • Tortuosidade coronária: Artérias tortas.
  • Ponte Intramiocárdica: Trajeto conduzido de forma fora dos padrões normais dentro do músculo do coração.

Sintomas desta doença

Isquemia no miocárdio não está diretamente relacionado à angina. Os pacientes que já tiveram este tipo de experiência descrevem a dor no peito como forte, sensação de pressão ou até mesmo de choque e, que algumas vezes, consegue irradiar desconforto para outras partes do corpo.

Pode ser desencadeada por fatores médicos (como os citados acima), esforço demasiado em relação à atividades físicas ou até mesmo fatores emocionais como o estresse.

Tratando de forma natural

Geralmente, médicos receitam drogas especificamente para este tipo de problema ou até mesmo alguns casos vem a ser cirúrgicos. Entretanto, podemos também associar alguns métodos naturais ao tratamento (Claro que antes de qualquer procedimento seu médico deve ser consultado):

Alface: Amassar 60 g de talos do alface e adicionar a um recipiente. Adicionar um litro de água fervente aos talos amassados e deixar em repouso. É recomendada a ingestão de quatro xícaras do chá durante o dia.

Couve: Realizar a extração do suco do couve e adicionar numa panela com cerca de uma xícara de mel de abelhas. Mexer a solução até obter uma consistência de xarope. Ingira uma colher de sopa seis vezes ao dia.

Alecrim: Adicione 20 g de alecrim à 1 litro de água fervente. Deixe em repouso até que esfrie. Ingerir uma xícara três vezes ao dia. P.S.: A mesma receita pode ser substituída por cavalinha.

Erva-Cidreira e Laranjeira: Adicionar um litro de água fervente à 15 g de erva-cidreira mais 15 g de laranjeira. Deixe em repouso por algum tempo. Ingira uma xícara de chá quatro vezes ao dia.

Veja mais!