Publicado por Natália Petrin
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

A planta cipó mil homens, rica em propriedades medicinais, recebeu este nome diferente pelo sanitarista Carlos Chagas que usou de suas propriedades medicinais para tratar milhares de operários de ferrovias que foram contaminados por um tipo de malária. Também conhecida como jarrinha, buta, papo-de-peru e cassaú, a planta conta com mais de 50 espécies e é uma trepadeira comum nas matas brasileiras. Nativa da América do sul, a planta é usada em diversos lugares do mundo para fins medicinais.

Chá de cipó mil homens

Foto: Reprodução

Tratamentos com o cipó mil homens

O chá dessa planta pode ser usado para tratar muitas afecções, como asma, febre, diarreia, problemas gástricos, má digestão, nevralgia, depressão, sífilis, vírus resistentes, vermes, picada de cobra, problemas dos rins, fígado e coração, cólicas, flatulências, pruridos, gota, hidropsia, convulsões, epilepsia, entre outras. Seus benefícios no tratamento de doenças está relacionado à sua ação como diurético, sedativo, antisséptico e estomáquico.

Como preparar o chá?

O chá deve ser feito com a proporção de duas colheres de sopa de cipó de mil homens para cada litro de água. Em um recipiente, leve a água ao fogo e aguarde alcançar fervura. Em seguida, desligue e adicione as folhas, tampando em seguida. Deixe em infusão por um período de aproximadamente 15 minutos, coando e consumindo em seguida. Indica-se consumir entre duas e três xícaras ao dia que devem ser ingeridas, preferencialmente, 30 minutos antes das principais refeições.

Contraindicações e efeitos colaterais

O consumo do chá é contraindicado para pacientes gestantes, pois a planta possui efeito abortivo. Além disso, é contraindicada também para obesos, uma vez que abre o apetite, e pessoas com problemas no fígado ou que tenham pressão alta. Em mulheres, o consumo traz um efeito colateral: aumenta o fluxo de sangue durante a menstruação.

A planta é muito tóxica – era usada para envenenar pontas de flechas – e por isso somente deve ser consumida com supervisão e indicação médica, não ultrapassando o período de 30 dias.

Nunca consuma um medicamento de origem natural ou industrial sem conhecimento do seu médico, pois cada substância possui reações e interações medicamentosas com outras, devendo ser vigiadas de perto e recomendadas por um profissional especialista.

Veja mais!