Publicado por Redação

O peixe é visto como um dos pratos mais consumidos na Páscoa, seja pela simbologia e tradição que carrega ou pela restrição na dieta que muitas pessoas seguem com propósito religioso.

O que pouca gente leva em consideração é o quanto esse alimento é saudável e está ligado ao bom funcionamento do corpo.

Para se ter uma ideia, o peixe tem baixo teor de gorduras saturadas, são fontes de proteína e ricos em vitaminas, minerais e ácidos graxos como o ômega 3, que auxilia no controle de níveis de triglicérides e colesterol, principalmente o LDL, considerado um colesterol ruim.

Para a nutricionista da rede Hirota, Adriana Miyuki Koizumi, peixes são opções altamente saudáveis e deveriam ser mais consumidos pelos brasileiros.

“Cada 100g de peixe contém, em média, 93,7 calorias, 1,7g de gorduras, 19,6g de proteínas, 27mg de cálcio, 197mg de fósforo, 0,8 de ferro, e boas quantidades de ômega3, principalmente em peixes de água fria e profunda, como: salmão, atum e sardinha, além de vitaminas A, B2, B3 e E. Sem dúvida é um alimento que deveria ser consumido quase todos os dias, pois auxiliam na prevenção de diversas doenças”, comenta a nutricionista.

Comer peixe é gostoso e faz bem. Saiba o porquê e como escolher

Foto: depositphotos

Conheça mais sobre os benefícios do peixe

A julgar pela grande quantidade de nutrientes, sais minerais vitaminas e proteínas contidos no peixe, já dá para ter uma ideia do quanto ele pode ser benéfico para a saúde. Sendo assim, ele é considerado uma importante fonte vital de nutrientes para o corpo, já que o seu consumo pode ser associado a prevenção de uma série de doenças e sintomas desagradáveis.

Entre as principais doenças que podem ser evitadas a partir do consumo do peixe estão:

-O alimento reduz o risco de doenças cardíacas e acidente vascular cerebral (AVC);
-Protege contra a deterioração do cérebro ocasionada pelo avanço da idade;
-Previne e combate a depressão;
-Reduz o risco de doenças auto-imunes, a exemplo da diabetes tipo 1.

Como se ainda não bastasse, o peixe ajuda a prevenir a asma entre as crianças e proteger a visão nos mais velhos e melhora a qualidade do sono. Somado a todos esses benefícios ainda tem a facilidade com que ele é encontrado e também pode ser preparado. Ele também é um alimento que pode ser combinado com uma série de outros ingredientes.

Dicas para escolher o peixe

Pensando em facilitar ainda mais a vida das pessoas que não tem muita convicção na hora de escolher o peixe, preste atenção nas recomendações a seguir. Lembrando que todas essas orientações podem ser seguidas na compra do peixe em qualquer estabelecimento da sua preferência, desde os mercados, passando pelas peixarias, até as feiras de bairro.

– É importante que o peixe esteja lavado e limpo, sem vestígios de areia, poeira, sabão ou qualquer outro tipo de material.

– O peixe não deve apresentar marcas de furos, cortes ou manchas que não sejam características da espécie.

– As escamas precisam estar firmes e resistentes, além de parcialmente transparentes e brilhantes e a pele úmida e bem aderida ao peixe.

– Preste bastante atenção aos olhos do peixe. Eles devem estar brilhantes e salientes, sem a presença de pontos brancos no centro.

– A membrana que reveste a guelra, conhecida como opérculo, tem que estar rígida e oferecer resistência a sua abertura. A parte interna deve estar brilhante e com os vasos sanguíneos cheios.

– É importante checar as brânquias que devem apresentar coloração de rosa a vermelho intenso, estarem úmidas e brilhantes, com ausência ou discreta presença de muco (líquido pastoso).

– Odor, sabor e cor devem ser característicos da espécie.

– No varejo devem ser expostos dentro de câmaras refrigeradas ou sobre uma espessa camada de gelo.

Veja mais!