Publicado por Ana Ligia
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

Quem nunca precisou saciar o desejo de um doce com brigadeiro, quindim, pudim, entre tantos outros?! Resistir às doçuras da culinária brasileira não é tarefa fácil. Mas saiba que a grande ingestão de açúcar pode acarretar sérios danos à saúde.

E não é só riscos como diabetes que pessoas que consomem muito açúcar correm. Entidades de saúde alertam que o alto consumo de sacarose é um fator de risco para complicações como hipertensão e alterações metabólicas.

Reduzir o consumo de açúcar é algo que vai muito além da estética: é um fator que ajuda a prevenir diversos tipos de doenças.

Descubra qual a forma mais saudável de substituir o açúcar

Foto: depositphotos

Precisamos de açúcar?

Não confunda glicose com sacarose. A sacarose é popularmente conhecida como “açúcar de mesa”. Apesar de ser bastante consumido, o ingrediente não possui nenhuma característica funcional no organismo.

De acordo com a nutricionista Sinara Menezes, o alimento é classificado como uma caloria vazia, pois não entrega benefícios ao corpo. “Apesar de ser extraída de um produto natural, os processos químicos responsáveis por refinar e deixar o açúcar com a aparência branca removem todos os nutrientes presentes na cana, logo o produto final não entrega nenhum nutriente. O açúcar é um carboidrato simples de altíssimo índice glicêmico, capaz de propiciar o ganho de peso e outras disfunções metabólicas quando consumido em excesso”, revela.

A glicose, sim, é essencial para o funcionamento do organismo. Esse composto é um monossacarídeo obtido principalmente através da metabolização de diversos alimentos. Quando comemos, nosso organismo vai quebrar as estruturas dos alimentos até chegar nas moléculas mais simples e obter a glicose.

O que acontece com a sacarose é que ela é um dissacarídeo composto de duas estruturas simples: frutose e a glicose. O problema é que, como ela possui uma estrutura simples, a sacarose não exige muito esforço do organismo para ocorrer a digestão. Logo, o açúcar é absorvido muito rápido, o que pode ser um perigo para à saúde.

Açúcar x Saúde

Esses açúcares e outros carboidratos simples elevam consideravelmente a concentração glicêmica, algo que exige mais do pâncreas. Quando os picos glicêmicos acontecem de forma frequente, o organismo acaba desenvolvendo resistência à insulina, que é um hormônio liberado toda vez que nos alimentamos. É ele o responsável em levar glicose para dentro das células.

Além disso, o consumo exagerado de açúcar é um dos principais fatores que ajudam no ganho de peso. Tudo isso porque o excesso de glicose é armazenado pelo corpo em forma de gordura.

É preciso eliminar?

Com exceção de casos extremos, como diabetes e outros problemas de saúde, não é necessário excluir totalmente o açúcar da dieta. Mas é importante controlar o consumo.

Diminuir  ingestão do açúcar, independente do motivo, só trará benefícios para a sua saúde e corpo. Além de contribuir para o emagrecimento, o consumo moderado diminui o risco do diabetes e outros males relacionados à obesidade.

Alternativas para o açúcar refinado

Existem alguns tipos de açúcar que são mais saudáveis do que aqueles que estamos acostumados. Mas, ainda assim, todos possuem um alto índice glicêmico, por isso, também devem ser consumidos com moderação. A nutricionista indica os ingredientes: açúcar mascavo, açúcar demerara, açúcar orgânico e açúcar de coco.

Adoçante é uma boa aposta?

Muitas pessoas acreditam que substituir o açúcar pelo adoçante é uma ótima medida. Mas acredite: essa solução não é tão saudável quanto parece.

Quando se trata de saúde, a nutricionista aponta que a medida mais inteligente é apostar na alimentação mais natural possível, evitando produtos industrializados como o adoçante. “Pessoas saudáveis e que não necessitam de dietas especiais, não precisam fazer o uso de adoçantes. Sua ingestão só é necessária para pacientes que precisam restringir o açúcar da alimentação como o caso do diabetes. Basta mudar os hábitos alimentares, comendo produtos in natura, como sucos de frutas. Mudar este hábito pode demandar tempo e dedicação, porém é a escolha mais saudável.”, alerta a especialista.

Mesmo o stevia, adoçante a base da planta, ou o açúcar light, devem ser utilizados somente por quem tem restrição total ao consumo de açúcar.

Veja mais!