Publicado por Natália Petrin
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

Originária do Brasil, a dormideira é um arbusto pequeno que também recebe os nomes populares de maria-fecha-porta, sensitiva, dorme-dorme e juquiri-rasteiro. Pertencente à família das ervilhas, a planta é conhecida como dormideira devido à sensibilidade das folhas que, ao serem tocadas ou expostas ao calor, se fecham. Existem outras espécies que também possuem essa sensibilidade como a Neptunia.

Dormideira - Benefícios e propriedades

Foto: Reprodução

Sensibilidade

Segundo biólogos da University of Western Australia, os vegetais têm memória e também se lembram do que aconteceu durante determinado período. Dessa forma, elas são capazes de aprender e recordar o aprendizado, mesmo semanas depois.

A bióloga Monica Gagliano, junto com mais três cientistas, usou a dormideira para um experimento. Eles criaram um mecanismo que emitia choques para as plantas, e em seguida as submetiam a quedas (tanto o choque quanto as quedas não comprometiam sua saúde e integridade) com o intuito de descobrir se as folhas poderiam ser treinadas para ignorar o estímulo de fechar.

Em um primeiro experimento, as folhas se fecharam, em seguida, as folhas foram se habituando ao estímulo e foram mantidas abertas depois de quatro ou seis vezes. Para comprovar que elas não se fecharam por fadiga, a equipe as submeteu a choques e quedas diferentes, que fizeram com que elas se fechassem.

Benefícios e propriedades

A dormideira é usada na medicina popular para afecções do fígado, icterícia, prisão de ventre, inflamações na boca ou garganta, dores de dente, dores de cabeça, reumatismo e tumores. Suas propriedades medicinais envolvem sua ação como calagogo, laxante e resolutivo.

Há uma crença de que a erva, pode ser usada para colocar embaixo do travesseiro em que vai dormir para proporcionar sonhos eróticos. Para isso, de acordo com a crença, é preciso colhê-la em luas cheias, preferencialmente quando estiver em Escorpião.

Como usar?

Para preparar o chá, use sempre a proporção de duas colheres de sopa das folhas da erva para cada litro de água. Em um recipiente, coloque a água e em seguida a erva. Leve ao fogo e aguarde alcançar fervura. Quando isso acontecer, desligue e tampe deixando descansar abafado por aproximadamente dez minutos. Coe e consuma em seguida.

O indicado é consumir de duas a três xícaras ao dia. Para dores de dente e infecções na boca, use a mistura para fazer gargarejos de duas a três vezes ao dia. A planta pode ser usada ainda na forma de cataplasma para combater abcessos, escrofulose e reumatismo.

Veja mais!