Publicado por Katharyne Bezerra
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

Difícil de ser encontrada, a jicana é um vegetal que só é encontrada em lojas de produtos naturais mais completas ou, em menor escala, mercados municipais e feiras livres. Com o nome científico pachyrhizus erosus, o mesmo ainda é conhecido por outras nomenclaturas como feijão batata, jiquima, jacatupé, batata d’água, feijão macuco, ahipa, batata chinesa entre outros.

Mesmo com a dificuldade em encontrar esse produto, o seu uso está crescendo e se tornando popular, isso, é claro, devido aos benefícios que o vegetal proporciona ao organismo. Os efeitos protetor e auxiliador do sistema imunológico e o trabalho de tonificação do intestino, conferem ao jicana uma fama de aliado da saúde.

Todavia, apesar de ser um produto de origem vegetal e se tratar de um elemento rico em propriedades medicinais, é preciso alguns cuidados quando o assunto é o consumo. Existem substâncias químicas na jicana que merecem atenção de seus consumidores, para evitar assim acidentes indesejados.

Benefícios deste vegetal

Jicana: benefícios e propriedades deste vegetal

Foto: Reprodução/ internet

Por ser rica em carboidratos, a jicana é utilizada no sentido de repor esse elemento que em alguns organismos se encontra em escassez. É uma ótima fonte de vitamina C e, por isso, ajuda a melhorar o sistema imunológico dos pacientes. Também, por esse mesmo motivo, auxilia no desenvolvimento e formação de bactérias do bem, as quais ajudam o intestino em suas funções e, consequentemente, otimizam o funcionamento do trato intestinal.

Para quem está de dieta, mas não quer perder a oportunidade de usufruir dos benefícios deste vegetal, fique tranquilo pois, esse produto natural, possui poucas calorias e ainda é facilmente digerido pelo organismo.

Como consumir corretamente o jicana?

Esse vegetal é utilizado na fabricação de uma farinha que substitui muito bem a de trigo, comumente usada em receitas de bolos, por exemplo. Além disso, pode ser consumida cozida, assada, grelhada ou frita, porém, é na sua forma crua que seu sabor doce e suas propriedades estão mais ativas. Desta forma, o modo ideal é utilizar a jicana crua, acompanhando saladas, sanduíches ente outros pratos.

Vale ressaltar que, a parte utilizada da planta, é a vagem estando fresca. Já as folhas e as sementes maduras da jicana não podem ser consumidas, haja vista que elas possuem uma substância chamada de rotenona, que tem a finalidade de paralisar peixes e facilitar a pesca.

Veja mais!