Publicado por Débora Silva
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

A mamona é o fruto da mamoneira (Ricinus communis), sendo também popularmente conhecida como rícino. É provável que esta planta tenha sido batizada de “mamona” devido à semelhança de suas folhas com as do mamão, porém estas duas plantas são muito diferentes e cada uma pertence a uma família. Desde a Antiguidade, a mamona tem sido utilizada como objeto ornamental e as suas sementes também foram usadas como objetos artísticos. Dentre os principais países produtores de mamona estão a Índia, a China e o Brasil (com a produção concentrada nos estados da Bahia, Ceará, Minas Gerais e Pernambuco). Os principais países consumidores da planta são a China, a França, Alemanha, Japão e os Estados Unidos.

Mamona - Benefícios e propriedades

Foto: Reprodução

O principal produto derivado desta planta é o óleo de mamona, também chamado óleo de rícino, utilizado como purgativo na medicina popular e largamente empregado na indústria química por possuir uma hidroxila (OH) ligada na cadeia de carbono, uma característica peculiar. Já utilizado pelos egípcios como óleo para lâmpada e unguento, o óleo de rícino é extraído de suas sementes, que contêm 45% a 50% de óleo. Confira as seguir as propriedades e os demais benefícios da mamona.

Propriedades da mamona

  • Vermífugo;
  • Emoliente e cicatrizante (uso externo);
  • Catártico;
  • Purgante (uso interno);
  • Anticancerígeno;
  • Analgésico.

Benefícios e indicações de uso

Devido às suas propriedades, a mamona pode ser utilizada para combater parasitas intestinais e, no uso externo, é usado no combate a herpes, erupções, feridas, calvície, queimaduras e eczemas.

As folhas da mamona podem ser utilizadas no tratamento de casos de hemorroidas; o óleo de rícino é usado para regular o intestino e como purgante; para casos de unhas descamadas e cutículas ressecadas; fortalecimento dos cabelos e para a prevenção de rugas.

Contraindicações e cuidados

O uso da mamona é contraindicado para mulheres grávidas e lactantes, pessoas com doenças intestinais graves ou qualquer outra condição interna que possa ser mais grave. Também não é aconselhável que crianças menores de 12 anos de idade utilizem o óleo de mamona.

ATENÇÃO! A ingestão das sementes mastigadas de mamona é extremamente tóxico, causando cólicas abdominais, náuseas, vômitos, diarreia mucosa e, em casos mais graves, podem ocorrer convulsões, coma e óbito.

Lembre-se sempre da enorme importância de consultar um médico antes de utilizar qualquer tipo de medicamento, mesmo que seja natural.

Veja mais!