Publicado por Stefanie Mouret
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

Da família das Compositae, o Mentrasto possui o nome científico de Ageratum conyzoides L. Não é difícil reconhecer essa planta, já que é muito popular em algumas regiões do Brasil, sendo uma erva anual capaz de chegar até 1m de altura. Suas flores podem ser brancas, roxas azuladas ou lilás, desabrochando sempre nos meses iniciais da primavera. Suas folhas são opostas, deltoideas ou ovaladas. Possui fruto, o qual apresenta quatro ângulos, coloração escura e é um pequeno aquênio. Cultivada preferencialmente em terrenos férteis, úmidos e sombreados, a planta pode ser facilmente avistada em pomares, terrenos baldios e lavouras. O Mentrasto ainda é popularmente conhecido como erva de São João, erva de Santa Lucia, mentraz, mentraço, catinga de bode e camará opela. Trata-se de uma planta com excelentes propriedades medicinais, sendo muito popular no Brasil. Possui aroma forte e agradável, mas sabor amargo.

Mentrasto

Foto: Reprodução

Os prós do Mentrasto

A planta é comumente indicada para tratar e aliviar sintomas de artroses, artrites, cólicas menstruais, diarréias, bronquites, infecções do trato urinário, dores musculares e dores nas articulações em geral.

O Mentrasto é eficaz no tratamento desses males por suas propriedades anti-inflamatórias, analgésicas, diuréticas, aromáticas, tônica, febrífugas e antirreumáticas.

Como utilizar?

É possível encontrar e consumir o Mentrasto de duas formas: em folhas secas trituradas ou em cápsulas que contenham seu pó. É importante frisar que sua eficácia é comprovada nos dois modos, assim convém analisar o valor e praticidade de cada um de acordo com a necessidade do paciente. Se preferir o Mentrasto em cápsulas, pode-se ingerir entre dois e três comprimidos por dia.

Para as folhas trituradas, basta levá-las ao fogo na quantidade de 100g juntamente com um litro de água e deixar ferver por 10 minutos. Passado o tempo, desligue o fogo e abafe o recipiente, aguardando até que a temperatura esteja no ponto para ser consumida. Pode-se beber o chá entre duas e três vezes ao dia.

Caso esteja sofrendo artroses, reumatismo, contusões ou outro problema externo, pode-se seguir a mesma receita do chá, mas embeber no líquido um pano limpo que será utilizado como compressa para aplicar no local afetado.

Contraindicações e efeitos indesejados

O consumo de Mentrasto é contraindicado para diabéticos e pessoas que sofram de doenças no fígado. Até a publicação deste artigo, não houve relatos de efeitos colaterais ou reações indesejadas devido ao uso do Mentrasto. No entanto, caso seja consumido de forma exagerada, pode ocorrer o aumento indesejado da pressão arterial. Assim, para zelar ainda mais pela saúde, é importante ter consciência de que qualquer tratamento medicinal – seja natural ou farmacêutico – deve ser visto com seriedade, preferencialmente acompanhado de perto por um médico responsável que possa orientar com segurança e de forma individual, já que cada organismo é único e pode reagir de maneiras diversas.

Veja mais!