Publicado por Natália Petrin
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

Segundo estudos realizados por cientistas da Inglaterra, é chegada a hora de reflexão quanto aos hábitos alimentares. Além de serem bem caras, as dietas com a carne acabam prejudicando a saúde de diversas pessoas. Isso, entretanto, é, ainda hoje, uma controvérsia tamanha.

Tendo como líder Marco Springmann, do programa de Alimentação do Futuro, os cientistas da Universidade de Oxford estudaram os hábitos alimentares ao redor do mundo, trazendo confirmação para muitas das teorias a respeito dos malefícios do consumo de carne. Os cientistas afirmaram que cerca de 5,1 milhões de mortes anuais podem ser evitadas até 2050, caso haja a diminuição no consumo de carne, além de uma economia anual de R$ 3,5 trilhões.

O estudo

Antes que haja muita discussão, vamos falar sobre a forma de conclusão dos cientistas: durante seis anos, eles analisaram grupos diferentes ao redor do mundo quanto à dieta típica de cada região. É natural que haja uma grande variação entre esses alimentos, desde a quantidade de carne ingerida até as frutas e legumes.

Imagem de tigela com vegetais

Foto: Pixabay

A conclusão do estudo foi de que as pessoas precisam consumir em torno de 15% menos calorias, além de cortar de forma drástica o consumo de carne. Ainda segundo o estudo, haveria também um impacto ambiental bastante intenso, já que o gasto para criar gado é muito maior do que as dietas vegetarianas em relação à água e energia, além do pasto que não seria mais criado com o corte de mata.

Segundo a pesquisa, se todos no planeta fossem adeptos da dieta vegana, haveria uma redução de 70% nas emissões de poluentes em todo o mundo. Springmann afirmou à Thomnson Reuters Foundation que “O valor desses benefícios constitui um forte argumento para o aumento da despesa pública e privada em programas destinados a alcançar dietas mais saudáveis e ambientes sustentáveis”. É preciso, entretanto, que haja um aumento de 25% no consumo de frutas e verduras.

Outras consequências

Além do que já foi mencionado, haveria ainda uma redução grande dos problemas de saúde, principalmente aqueles relacionados ao diabetes, à pressão alta e à obesidade. O padrão atual de consumo de carne vermelha processada é cancerígeno, segundo a Iarc, Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer. Eliminar a carne da dieta é, portanto, uma forma de prevenir-se contra o câncer.

É importante, entretanto, que antes de eliminar a carne de sua alimentação, você procure ajuda de um nutricionista para não haver deficiências de vitaminas, que trarão somente fraquezas.

Veja mais!