Publicado por Ana Ligia
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

O leite é um alimento consumido pelo humanos há muitos anos. E mesmo sendo algo tão popular, o assunto ainda gera diversas polêmicas.

Muitas pessoas acreditam que o consumo do leite é algo que devia deixar de acontecer a partir do momento que desmamamos, assim como fazem os outros animais. Alguns alegam que o consumo do leite e seus derivados causam alergias, pois ele possui substâncias que “atacam o organismo”.

A nutricionista Ana Paula Del esclarece algumas dúvidas sobre o consumo do leite e destaca verdades sobre as proteínas dele.

nutricionista-esclarece-verdades-sobre-a-proteina-do-leite

Foto: Pixabay

A importância da proteína do leite

Segundo a especialista, as proteínas do leite possuem todos os aminoácidos essenciais, que são aqueles que o organismo não é capaz de produzir.

Esses aminoácidos precisam ser obtidos por meio de uma alimentação equilibrada e a ingestão do leite é uma forma de conseguir adquiri-los.

Ana Paula Del conta: “O leite é digestivo, se ingerido após o primeiro ano de vida. Depois desse período, o corpo não passa mais a reagir às novas proteínas (não humanas) as quais seu organismo entra em contato e torna-se capaz de digerir as proteínas do leite, trazendo benefícios ao corpo humano.”

Benefícios da proteína do leite

A proteína presente no leite tem funções essenciais para o organismo. Ele ajuda a auxiliar o sistema imunológico, é antiviral, antimicrobiana, protege a mucosa gástrica e o sistema cardiovascular.

Quando as proteínas e os aminoácidos cumprem funções que são essenciais para o organismo, elas produzem anticorpos, hormônios que regulam todo o nosso corpo, constroem partes estruturais do organismo, como músculo, pele, cabelo, entre diversas outras funções,

Consumir proteínas lácteas durante a gestação contribui para o ganho de peso do bebê. “Um estudo científico publicado em 2016 encontrou uma associação entre o padrão alimentar da mãe gestante com o peso do bebê. Os autores sugerem que este resultado pode estar associado às proteínas lácteas, em especial às proteínas do soro do leite”, revela a especialista.

Veja mais!