Publicado por Katharyne Bezerra
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

Para se ter uma ideia da importância do fígado para o organismo, ele é um órgão que desempenha mais de 500 funções no corpo humano. Em outras palavras, se ele não trabalhar de forma correta, todo a estrutura corporal irá sofrer consequências. Um exemplo de problema que acomete este órgão é a esteatose hepática, mais conhecida como gordura no fígado.

Caracterizada como uma doença que acumula gordura no interior das células, chamadas de hepatócitos, uma glândula que recebe muita circulação de sangue. Quando isso ocorre de forma constante e prolongada, o fígado, que possui uma cor marrom-avermelhada, adquire um aspecto amarelado e ainda aumenta de tamanho. O tratamento deve ser feito com assistência médica, mas um produto natural pode auxiliar nesse processo de recuperação, o óleo de coco. Antes de saber seus benefícios e como deve ser utilizado, saiba mais sobre esta doença.

Esteatose hepática: características, causas e sintomas

Esta condição está se tornando cada vez mais comum na sociedade atual, tendo em vista as formas que ela se propaga que condiz com o estilo de vida vivido por muitas pessoas. A estimativa, levantada por órgãos competentes em questões de saúde, é que 30% da população possua este problema e que, metade desses portadores, possam evoluir para quadros mais graves dessa doença.

As causas podem ser classificadas como alcoólicas e não alcoólicas. Frente a isso, a gordura no fígado pode surgir devido o excesso de consumo de álcool. Mas também, em consequência do sobrepeso, cirurgias, diabetes, má nutrição, gravidez, sedentarismo e perda brusca de peso. Além disso, pressão alta, níveis elevados de triglicérides e de colesterol, também podem ter relação com o acúmulo de células gordurosas no fígado.

Óleo de coco para tratar gordura no fígado

Foto: Reprodução/ internet

Quando o paciente se encontra nessa situação, ele pode apresentar os seguintes sintomas: cansaço, fraqueza, dor, aumento do fígado e perda do apetite. Se não tratada logo no início, a doença pode se agravar e, como consequência, podem surgir hemorragias, confusão mental, queda no número de plaquetas etc.

Tratamento com óleo de coco

Este produto de origem natural é considerado um tipo de gordura saturada saudável e também é composto por um ácido graxo de cadeia média. Dessa forma, ele ajuda os seus consumidores a ter uma melhor saúde hepática e cardíaca. Além disso, o óleo de coco tem a capacidade de reduzir o colesterol ruim do sangue e nivelar a pressão arterial. E, como possui um alto nível de antioxidantes em sua composição, também é ideal para eliminar as toxinas que agem de forma nociva no organismo.

Frente a essas propriedades e benefícios, o óleo de coco é um excelente remédio para eliminar as gorduras instaladas no fígado. Para tanto, tome uma colher de sobremesa do óleo, diariamente, o que significa uma porção de 15g. Se achar melhor, pode distribuir essa quantidade ao longo do dia, ingerindo 5g três vezes ao dia.

O excesso desse remédio natural pode acabar tendo reações adversas no organismo. Assim, ao invés de auxiliar no tratamento, o óleo pode agravar o quadro clínico do paciente. Por exemplo, uns dos principais efeitos colaterais causado por esse produto são dor no estômago e náuseas. Portanto, consuma só o recomendado e não deixe de procurar a opinião do seu médico de confiança.

Veja mais!