Publicado por Natália Petrin
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

O gengibre é uma iguaria bastante popular, seja devido o sabor ou seus benefícios. Com origem na China e na Índia, mas nativa de toda a Ásia, chegou à Europa durante o período da Idade Média, e somente veio à América do Sul por meio dos colonizadores espanhóis. Cultivada, nos dias de hoje, em diversos lugares do mundo, o gengibre vem se tornando cada dia mais popular na culinária mundial.

Além da possibilidade da raiz tuberosa ser usada para fins culinários, também pode ser extraído dela um óleo essencial que traz uma expansão nos benefícios e propriedades da especiaria, aplicando seus usos, inclusive, além da culinária.

A extração é feita por meio da destilação à vapor, e sua coloração muda com o passar do tempo. O aroma não tem nada parecido com o aroma do gengibre seco ou em conserva, mas é bastante semelhante ao do gengibre fresco.

Benefícios e propriedades

Garrafa com óleo de gengibre ao lado de raízes de gengibre

Foto: Depositphotos

Atua como um excelente antiespasmódico, afrodisíaco, digestivo e anti-inflamatório, sendo um ótimo medicamento natural para combater dores musculares, amenizar dores decorrentes do reumatismo, combate a frigidez, ameniza problemas de náusea e tontura e trata as sensações de depressão. Além disso, ajuda a amenizar dores de cabeça e enxaqueca, dores de garganta e congestionamento pulmonar, indigestões, cólicas menstruais, músculos cansados ou cãibras, e trata a má circulação.

O gengibre ainda ajuda no emagrecimento, desintoxicação do organismo, atua como anticoagulante, antioxidante e bactericida, trata gripe, diarreia, dores estomacais, congestão do peito, asma, bronquite, inflamações na garganta, doenças nervosas entre outras.

Como usar?

Pode ser usado na forma de compressas nas áreas doloridas, inalação para náuseas e tonturas, além de enxaquecas, pois traz resultados mais rápidos e massagem, quando misturado a outro óleo, para tratar as dores musculares, fadiga e reumatismo. Após viagens aéreas, pode ser usado junto ao óleo de alecrim para tratar as indisposições causadas pelo fuso horário. Ajuda ainda na salivação para tratar anorexia e falta de apetite, e quando ingerido, mas em pequenas quantidades, ajuda a tratar diarreia, dores de estômago e má digestão.

Na pele, pode ser usada misturada ao creme hidratante, ajudando a diminuir os efeitos da acne e da psoríase, melhorando ainda o tônus da pele promovendo a uniformidade do tom e suavidade. As manchas da idade também podem ser amenizadas por meio do consumo do óleo ou da raiz, e é bastante usado na aromaterapia em Spas, objetivando melhorar a circulação sanguínea, de forma que é excelente para tratar varizes e celulites.

Veja mais!