Publicado por Katharyne Bezerra
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2025 o mundo terá 700 milhões de obesos. Deste número, 75 milhões serão só de crianças.

Devido a densidade dos números, o próprio órgão reconheceu que a obesidade é um dos maiores problemas de saúde pública do mundo e que se medidas preventivas não forem colocadas em prática o quanto antes, a situação só vai piorar.

Os órgãos ligados à saúde pública do Brasil também estão preocupados, isso porque, no caso da obesidade infantil, os números triplicaram nos últimos 40 anos.

Orientações essenciais para alimentar o seu filho de forma saudável

Foto: depositphotos

Enquanto que em 1974, o número de crianças acima do peso era de 9,7%. Em 2014 este percentual aumentou para 33,5%.

E como esta condição é um problema grave na sociedade, é preciso tomar providências de reversão com urgência.

Alternativas de alimentos saudáveis para as crianças

Uma das maneiras de eliminar a obesidade e as suas consequências, é optando por novos hábitos alimentares. E os pais podem conquistar isto com o auxílio de um nutricionista.

É indicada a  adequação das refeições baseadas em alimentos oriundos da agricultura local, sem correr o risco de consumir ingredientes com agroquímicos e pesticidas, tão presentes em agricultura intensiva.

Assim, uma dieta saudável conta com os seguintes alimentos:

  • Proteínas saudáveis: Estão dentro desta classe as carnes orgânicas, produtos de soja fermentada e peixes;
  • Frutas frescas: Maçã, laranja, abacaxi, pera, mamão, entre outras;
  • Cereais integrais: Podem ser apostas saudáveis o arroz integral, aveia, cevada e quinoa;
  • Leguminosas: Lentilhas, feijão, ervilha e grãos no geral;
  • Frutos secos oleaginosos: Nozes e amêndoas;
  • Vegetais frescos: Beterraba, aipo, espinafre, cenoura etc;
  • Óleos vegetais de qualidade: O azeite extravirgem;
  • Sementes: Podem ser opções nutritivas as sementes de gergelim, abóbora e girassol.

Vale ressaltar que essas mudanças devem ser feitas aos poucos, respeitando o tempo da criança em conseguir assimilar novos sabores.

No caso dos vegetais e frutas, uma boa dica é prepará-los em forma de suco. Como bebidas estes ingredientes podem ser mais saborosos e nutritivos que dispostos no prato.

Alimentos que devem ser evitados

Opções não nutritivas devem ser dispensadas do cardápio dos pequenos ou, pelo menos, diminuídas significativamente.

Por exemplo, comidas pré-cozidas ou processadas, alimentos e açúcares refinados, bebidas gaseificadas e industrializadas e os alimentos ricos em gorduras prejudiciais.

Excluindo estes itens, a criança poderá reduzir os riscos de alergias e de desenvolver problemas digestivos.

Dando o exemplo em casa

Como as crianças espelham-se em seus pais, é preciso que estes possam incentivar tais mudanças nos pequenos. Mudar a própria alimentação é uma forma interessante de educar as crianças.

Veja mais!