Publicado por Natália Petrin
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

Presente em quase todas as regiões do Brasil, o caruru é uma planta silvestre e comestível que cresce cerca de 80 cm. De grande valor nutritivo, a planta é, em muitos lugares, considerada um mato, uma praga que para nada serve. Conhecido popularmente como bredo, a planta é de uso comum na região da Bahia, onde é usada para diversas receitas e, inclusive, um dos pratos típicos do estado recebe o nome Caruru. Rico em ferro, potássio, cálcio e vitaminas A, B1, B2 e C, todas as suas partes podem ser consumidas.

Caruru

Foto: Reprodução

A planta, por ser de fácil propagação e de grande valor nutritivo, é uma ótima opção de complementação alimentar, sendo comumente encontrada nos pratos de famílias mais humildes. Pode ser preparada refogada e servida como acompanhamento a outros pratos.

De onde veio o caruru?

Acredita-se que a planta tenha chegado ao Brasil por meio dos africanos, partindo da afirmação de que a culinária africana teve influência na brasileira. Muito conhecido como uma erva daninha, seu desenvolvimento e crescimento são espontâneos e a planta é adaptada ao clima brasileiro. Normalmente cresce em boas terras, ricas em potássio, e suas sementes podem ser ingeridas torradas ou em pães e outras receitas.  Muitas vezes, a planta caruru, por não ter reconhecimento nutricional, é combatida por nascer em meio às plantações em fazendas.

Seu uso medicinal

Além de suas muitas propriedades nutricionais, o caruru também pode ser usado como uma erva medicinal. Eficaz no tratamento de infecções, problemas hepáticos, catarro da bexiga, afecções do fígado e hidropsia, é ainda um excelente lactígeno, aumentando a produção de leite pelas glândulas mamárias, tornando seu consumo muito benéfico para mulheres grávidas, ou em fase de amamentação. Além disso, a planta é, devido ao alto nível de cálcio, muito útil na formação dos ossos e dentes.

Escrito por Natália Petrin

Veja mais!