Publicado por Natália Petrin
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

O fígado é um alimento rejeitado por muitas pessoas, mas que possui muitos benefícios quando inserido na alimentação. É uma excelente fonte de vitamina A e B12, possuindo-as em maior quantidade que a maioria dos alimentos. Estas são indispensáveis para a formação dos glóbulos vermelhos e ao sistema nervoso. Além disso, é fonte de ferro e zinco, e ajuda a manter uma pele saudável e a estimular a resistência do corpo diante de infecções.

Os benefícios do fígado na alimentação

Foto: Reprodução

A família das vitaminas do complexo B, nas quais o fígado é rico, ajudam o corpo na metabolização dos alimentos, na manutenção da pele, na produção de células vermelhas, na proteção do sistema nervoso e, além disso, ajuda a prevenir alguns problemas que podem surgir no nascimento. Dessa família, o fígado fornece a vitamina B1, B2, B3, B6, B9 e B12.

A vitamina D, também presente no alimento, é difícil de ser encontrada em fontes naturais. Ela ajuda a manter a saúde dos ossos, a aumentar a imunidade do corpo, além de reduzir a inflamação nas juntas. O ferro possui uma forma que é mais facilmente absorvida, e esta pode ser encontrada nas carnes, inclusive no fígado. Importante para combater a anemia, sua ausência pode ocasionar problemas como fadiga, arritmia cardíaca e diversos outros.

O consumo de fígado e a gestação

O consumo é indicado para mulheres, principalmente durante a gestação. Isso por possuir folato, substância essencial na composição do material genético e no processo de divisão celular. A falta dessa substância pode causar problemas sérios na formação do bebê, ou em outros casos até mesmo o aborto.

Malefícios

Normalmente feito como uma fritura, o consumo pode aumentar o colesterol, entre outros problemas derivados do consumo de frituras. O consumo excessivo de fígado, mesmo quando consumido da forma certa de preparo, pode favorecer o surgimento da osteoporose – risco maior para mulheres na menopausa e em homens acima dos 65 anos. Para evitar este problema, devem ingerir produtos à base de fígado em uma quantidade de, no máximo, quatro vezes ao mês.

Gestantes, apesar de terem o benefício do folato, não devem consumir de forma excessiva, pois doses altas de vitamina A, como a fornecida pelo fígado podem provocar defeitos congênitos no embrião. Também devem controlar o consumo pessoas que sofram com problemas de colesterol alto, pois é um alimento que aumenta o teor de colesterol.

Veja mais!