Publicado por Natália Petrin
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

De nome científico Salix alba, o salgueiro branco pertence à família Saliceae e seu uso é datado de milhares de anos atrás. Seu gênero inclui ainda outras espécies, mas essa faz parte da Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS. Hipócrates, considerado o pai da medicina, descobriu no séc. V a.C. que o salgueiro branco podia aliviar dores e baixar febres. Além dele, outras pessoas de civilizações antigas também usavam a planta para fins medicinais, por exemplo no tratamento de cefaleia e reumatismo.

Os benefícios do salgueiro branco, um grande analgésico

Foto: Reprodução

No ano de 1973, o reverendo Stonen escreveu sobre as propriedades da casca do salgueiro e seu princípio ativo, a salicina ou ácido salicílico foi isolado por Leroux, um farmacêutico, e Piria, um químico, no ano de 1828. O ácido salicílico foi misturado com acetato pela empresa Bayer no ano de 1897, constituindo então a aspirina, que é chamada de ácido acetilsalicílico, e foi o primeiro medicamento sintetizado pela indústria farmacêutica e vendido em tabletes. Apesar de ter seus benefícios comprovados, a aspirina só teve sua ação desvendada por John Vane no ano de 1971, que, devido a sua descoberta, recebeu o Prêmio Nobel de Medicina e Fisiologia.

Propriedades e benefícios

Indicado como analgésico, antipirético e anti-inflamatório, o salgueiro branco tem como principal princípio ativo a salicina. Suas propriedades envolvem ainda sua ação como adstringente, anafrodisíaco, antibacteriano, antifúngico, sudorífero, antirreumático, antisséptico, febrífugo, tônico digestivo e vermífugo.

É indicado para o tratamento de cefaleia e de doenças inflamatórias, como por exemplo a tendinite e a bursite. Ajuda ainda a reduzir problemas de infecção urinária e pode ser usado para combater caspas, curar amigdalites e queimaduras, além de tratar picadas de insetos e suor nos pés. Outras indicações são para tratamento de dores comuns, gengivite, gonorreia, malária, inflamações, reumatismos e suores noturnos.

Contraindicações e avisos

O uso da casca do salgueiro branco é contraindicado para mulheres gestantes, pessoas com distúrbios gastrointestinais como gastrite, úlcera, refluxo e outras. Também deve ser evitado por pacientes que façam uso de medicamentos anti-agregantes ou que tenham alergia ao ácido acetilsalicílico, também conhecido como aspirina. O medicamento não deve ser usado em menores de 16 anos.

Quando consumido em excesso, pode causar irritação no estômago, náuseas, vômitos, inflamação dos rins, erupções na pele e zumbidos nos ouvidos. Existe ainda o risco de desenvolver a síndrome de Reye, que apesar de rara é grave e associada ao uso de aspirina em crianças.

Automedicar-se é um ato arriscado que pode comprometer a sua saúde. Procure sempre orientação médica antes de começar a tomar um medicamento, seja ele natural ou industrializado.

Veja mais!