Publicado por Carol Oliveira
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

Pedras nos rins são a junção de minerais e outras substâncias que formam um tipo de cristal nos rins, o que dificulta o rim de fazer sua função – que é eliminar fluidos excessivos e resíduos de sangue em forma de urina. Com o passar do tempo, esses cristais transformam-se em pedras.

O principal motivo da causa de pedras nos rins é a má alimentação. A cristalização acontece se existir concentração de cálcio ou ácido úrico ou pouca concentração de citrato de magnésio, que evita a formação dos cristais.

Tratamentos naturais para pedras nos rins

Foto: Reprodução

 

Os sintomas são sangue na urina, frequente vontade de urinar, dores intensas nos rins – que podem se espalhar para a barriga e a virilha –, febre, enjoos e vômitos.

Há plantas medicinais que podem ser usadas para ajudar a tratar essas pedras nos rins. São a salsa e o chapéu-de-couro, que são diuréticos e analgésicos. Aprenda a fazer seus chás.

Chá da salsa

O que precisa: uma xícara de água e uma colher de chá de salsa picada (com as raízes e caule).

Como fazer: ferva a água e assim que tirá-la do fogo junte a salsa. Mexa, deixe repousar por 20 minutos e beba uma vez por dia.

Chá do chapéu-de-couro

O que precisa: 150 ml de água e um grama de chapéu-de-couro seco.

Como fazer: coloque o chapéu-de-couro com a água numa panela e deixe ferver por 10 minutos. Beba três vezes por dia.

Maneiras de evitar as pedras nos rins:

  • O controle do consumo de sal
  • Diminuição do consumo de carne vermelha. A proteína animal aumenta a acidez na urina e favorece os cristais de serem formados.
  • Exercícios físicos.
  • Inclusão de frutas cítricas, como o limão. Essas frutas deixam a urina mais ácida e ajudam na dissolução dos cristais.
  • Beber muita água para sempre estar hidratado.
  • Comer alimentos com bastante proteína, como o feijão.

Curiosidades:

  • Há também outros chás que podem ajudar por serem diuréticos, como o de cabelo de milho e o de folha de abacateiro.
  • Se alguém de sua família já teve, é possível você também ter. Nesses casos, a genética influencia.
  • Se você já teve uma pedra antes, tem um risco maior de ter outra de novo.
  • Há outros fatores que influenciam, como o clima – áreas secas aumentam o risco -, o sexo – os homens estão mais propensos a ter – e outras doenças, como a gota.
  • A acupuntura ajuda a diminuir as dores e facilita a passagem da pedra.

Escrito por Carol Oliveira

Veja mais!