Publicado por Michelle Nogueira
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

O maracujá, de nome científico Passiflora macrocarpa, é uma fruta bastante conhecida pelos brasileiros. Não a toa, o Brasil é o maior produtor e consumidor mundial desse fruto.

O seu nome deriva da língua tupi, onde era chamado de “mara kuya”, que significa “fruto que se serve” ou “alimento na cuia”.

O maracujazeiro, planta que dá origem aos maracujás, é uma trepadeira da família das Passifloráceas, das quais derivam diversas espécies.

Existem cerca de 150 tipos diferentes de maracujá, cada qual com suas propriedades. Mas uma é reconhecida para todos: sua capacidade calmante. O uso dessa fruta como sedativo é conhecido desde a Antiguidade. A beleza de suas flores também é histórica.

usos-medicinais-do-maracuja-saiba-como-utilizar-essa-fruta

Foto: Pixabay

Contam que o Papa Paulo V (1605 – 1621), quando recebeu tal planta de presente, impressionado pela beleza e propriedades da mesma, mandou cultivar maracujazeiros por toda a Roma, afirmando que eles representavam uma revelação divina.

Composição química

Usando 100 gramas de maracujá como referência, temos:

  • Calorias – 54,60 kcal
  • Carboidratos – 9,60 g
  • Água – 88,50g
  • Lipídios – 1,80 g
  • Vitamina A (retinol equivalente) – 10 RE
  • Vitamina B1 (Tiamina) – 150,00 mcg
  • Vitamina B2 (Riboflavina) – 100,00 mcg
  • Niacina – 1,51 mg
  • Vitamina C (Ácido ascórbico) – 15,60 mg
  • Fósforo – 71,00 mg
  • Cálcio – 53,00 mg
  • Ferro – 1,27 mg

Propriedades medicinais

O maracujá ainda pode ser utilizado como adstringente, emenagogo (que facilita o fluxo menstrual), contra a histeria, insônia, nervosismo, ansiedade, hiperatividade, asma, diarreia, estresse, gota, hemorroidas e verminoses. Atua ainda como tonificante, sedativo, sonífero e hipnótico.

Como utilizar?

Ele pode ser usado das mais diversas formas, como em pudins, doces cristalizados, compotas, sucos, chás ou consumido ao natural (como o maracujá-doce, o maracujá-da-serra, o maracujá-mi, o maracujá-marmelo ou o maracujá-melão, pois possuem uma polpa deliciosa e abundante).

As folhas do maracujazeiro ainda fornecem chás e decocções altamente potentes. Pode ser comprado também em formas de cápsulas, em farmácias de manipulação ou em lojas de produtos naturais.

É bastante explorado pela indústria da beleza, onde são produzidos cremes, shampoos, sabonetes, hidratantes, esfoliantes e mais uma vasta gama de produtos à base dessa fruta.

Dicas de uso medicinal para alguns tipos de maracujá

  • Adstringente – Para fazer o melhor uso dessa propriedade, prepare uma decocção das folhas do chamado “maracujá-de-folhas-de-louro”.
  • Calmante, contra insônia e estresse – Tomar o suco de maracujá ao natural, adoçado com mel. Bata a polpa, sem retirar as sementes, com água e mel. Depois, coe e beba.
  • Gota – Tomar banhos quentes com a decocção das folhas do maracujá-da-Bahia ou maracujá-cheiroso.
  • Hemorroidas – Aplique cataplasmas locais com as folhas trituradas do maracujá-mirim. Clisteres podem ser aplicados também com as folhas do maracujá-peroba cozidas.
  • Restaurar o fluxo menstrual – Ferva a raiz do maracujá-branco ou do maracujá-do-Piauí, e tome esse chá. Pode ser preparada também uma decocção com as folhas do maracujá-de-folhas-de-louro.
  • Diarreia – Chá das folhas do maracujá-sururuca.
  • Verminoses – Para auxiliar no tratamento das verminoses, triture as sementes do maracujá-da-Bahia ou do maracujá-pintado, misture com mel, e tome, diariamente, uma colher (sopa) desse remédio caseiro em jejum.
  • Histeria – Contra histeria, aconselha-se tomar o suco de maracujá diversas vezes durante o dia. Se preferir, pode adoçar com mel.
  • Erisipela – Essa é uma doença infecciosa aguda, que provoca inflamações na pele. O maracujá também pode ajudar no tratamento. Coloque cataplasmas tópicos, feitos com a polpa do maracujá-fedorento. Lave o local com o suco diluído do mesmo maracujá.

Veja mais!