Publicado por Katharyne Bezerra
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

Muitas pessoas já devem ter ouvido falar sobre o veganismo, mas na verdade não sabe o que o termo significa.

A palavra é usada para definir um estilo de vida em que os indivíduos adeptos a ele não consomem nada de origem animal, seja alimentos, cosméticos, produtos de limpeza, medicamentos etc. Apesar de parecer um modo de viver radical, ele está em crescimento no Brasil e no mundo.

De acordo com a Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), o número de filiados aumentou em mais de 60%, nos últimos doze meses. Além disso, um levantamento feito pela instituição, através do Google Trends, revelou que o o volume de buscas pelo termo “vegano” teve um aumento de 700% no país, entre 2011 e 2015.

Veganismo em alta: conheça os benefícios da dieta vegana

Foto: depositphotos

Este crescimento nítido do estilo de vida vegano tem feito com que empresas mudem as formas de preparar seus produtos. “É visível a ampliação desse mercado, principalmente pelo crescimento de estabelecimentos e restaurantes que, cada vez mais, voltam seus cardápios para o público vegano e vegetariano.

Além disso, temos notado um grande aumento no número de empresas que estão investindo no lançamento de produtos que não possuem ingredientes de origem animal”, explica o presidente da SVB Ricardo Laurino.

Opinião dos profissionais em nutrição humana

Apesar de ser um modo de ver a vida diferente e mais humanitária, há quem critique o veganismo devido as opções alimentícias, alegando que os adeptos podem ficar sem nutrientes essenciais para o funcionamento do organismo. Na verdade, esta prerrogativa é facilmente derrubada por nutricionistas e especialistas em saúde humana.

Além disso, estes profissionais contrapõem a ideia do senso comum, tendo em vista que os efeitos positivos deste estilo de vida não se resume em evitar a morte de animais, mas também a melhorar a saúde, meio ambiente e até a economia familiar.

Nutricionista lista os benefícios do veganismo

Para a nutricionista e consultora da marca vegana SuperBom, Cyntia Maureen, as pessoas só precisam de informação sobre a dieta vegana. Assim, cria-se uma consciência de como a alimentação pode mudar as situações ao redor dos indivíduos.

“Quanto mais a pessoa conhecer a procedência do que consome, as necessidades do próprio corpo e a composição de uma dieta equilibrada, que seja capaz de fornecer os nutrientes necessários, mais certeza ela terá de que está no caminho certo quanto aos seus hábitos alimentares, melhorando assim sua qualidade de vida”, afirma a nutricionista, que enumera os benefícios desta dieta.

1. A dieta vegana salva milhares de vidas humanas

De acordo com a pesquisa feita pela Universidade de Oxford e divulgada no periódico Proceedings of the National Academy of Sciences, em 2016, o veganismo pode salvar 8,1 milhões de vidas humanas até 2050. Isto porque, segundo os estudiosos, o veganismo evita o surgimento de doenças sérias, como diabetes, obesidade, problemas cardíacos e câncer.

2. Diminui o risco de câncer

Falando em câncer, a prevenção desta doença é outro benefício proporcionado pela dieta vegana. Esta informação é um complemento do comunicado feito pela Organização Mundial da Saúde (OMS), em 2015, onde o órgão declarou que o consumo excessivo de carnes processadas como salsicha, presunto, salame, mortadela, carne seca e carne enlatada, aumenta o risco de desenvolvimento de câncer. Então, se a dieta vegana exclui estes alimentos o risco diminui, consequentemente.

3. Veganismo contribui para o emagrecimento

“Por conter variedade de vegetais e alimentos integrais, a alimentação vegana costuma ser rica em fibras que fará com que a pessoas comam porções menores e aumentará a sensação de saciedade, contribuindo para o emagrecimento e também para o bom funcionamento do intestino”, afirma Cyntia Maureen.

4. Estilo de vida salva animais

É óbvio afirmar que o veganismo salva animais, tendo em vista que a morte destes seres vivos só se mantém porque há quem consuma. Por isso que adotar o veganismo “é a melhor maneira de ajudar os animais e de acabar com o sofrimento deles. Nas fazendas industriais existem muitos casos em que eles são mantidos em condições ultrajantes e em espaços exíguos”, explica a nutricionista.

5. É uma atitude sustentável

A agropecuária é hoje a maior responsável pelo desmatamento da Floresta Amazônica, tendo em vista que os produtores precisam de espaço para criar o gado e outros animais, mas também necessita de grandes locais para plantar os alimentos consumidos por estes seres vivos. “De acordo com a FAO (Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação) é gasto 16 vezes mais água para produzir uma libra (o equivalente a 0,453 kg) de proteína de carne comparada à proteína vegetal”, alerta a especialista.

6. Melhora o orçamento familiar

É um mito dizer que só pode ser vegano se tiver dinheiro, tendo em vista que este é um estilo de vida mais econômico se comparado aos hábitos alimentícios baseados em carnes. “Em uma dieta convencional, é o consumo da carne animal que acaba onerando as compras, já que o produto tem um alto valor agregado. No caso dos  veganos, a base da alimentação inclui verduras, legumes, hortaliças e cereais, que são os alimentos mais baratos na gôndola do supermercado”, finaliza a nutricionais Cyntia Maureen.

Veja mais!