Publicado por André Luiz Melo
  • Compartilhe no Google+
  • Compartilhe no Whatsapp

A violeta é uma planta medicinal cuja nomenclatura também é classificada como violeta-de-jardim, violeta-comum, violeta-de-cheiro, violeta-doce, violeta-inglesa e violeta-perfumada.

Com folhas arredondadas e com flor azul de aroma agradável, esta planta possui como nome científico viola odorata. A mesma é rasteira e pertence à família das violáceas. Sua origem é europeia, mas é uma planta com cultivação em todo o Planeta.

Suas propriedades de cura se encontram concentradas nas suas folhas e flores, uma vez que as mesmas são utilizadas na homeopatia com a finalidade de tratar inúmeros transtornos de saúde comuns em muitos seres humanos.

Violeta: benefícios desta planta para a saúde

Foto: Pixabay

Além de eficaz na medicina alternativa, a violeta é também uma importante aliada da culinária. A mesma é utilizada em saladas e ainda em pratos de sobremesas na forma de flores cristalizadas com açúcar.

Já no meio cosmético, a eficácia da violeta também é comprovada, haja vista que esta planta é usada na produção de sabonetes, cremes, óleos, hidratantes e perfumes.

Indicações

A violeta é dotada da capacidade de tratar males como:

Prisão de ventre
Tosse
Bronquite
Dor de garganta
Ferimentos
Coqueluche
Além de ser usada ainda como perfume e em saladas.

Propriedades medicinais da violeta

Analgésica
Antifúngica
Anti-inflamatória
Antipirética
Antitussígena
Calmante
Cicatrizante
Expectorante
Diurética
Emética
Emoliente
Laxante
Sedativa
Sudorífera

Princípios Ativos

– Óleos voláteis: éster metílico do ácido acetilsalisílico e ácido B-nitropropiônico
– Glicosídeos: antocianina, viola quercetina e saponinas;
– Alcaloides: violina;
– Óleos voláteis: parmona (carreador aromático tranaionona) zingiberona, curcumeno, dihidro-3-ionona, 2,6-nonadieno-1-al, isoborneol, 2-1 -undecano; Saponinas; Matérias corantes e cetonas que lhe conferem o odor característico

Modo de conserva

As pétalas da violeta devem ser armazenadas e secadas à sombra, sendo logo em seguida colocadas em sacos plásticos que não recebam luz solar. O consumo da mesma pode ocorrer de três formas: infusão, decocção e cataplasma. Um creme de violeta para utilização externa também é possível de ser fabricado.

Veja mais!